A Sagrada Escritura

O último encontro testou nossos conhecimentos bíblicos. Foi fácil? Não. Mas pelo menos foi divertido. Divididos em 3 equipes, competimos para achar passagens específicas na Bíblia. A equipe vencedora achou todas as passagens, apesar da falta de sorte nos dados de um dos integrantes.

Brincadeiras a parte, como católicos temos a obrigação de conhecer e ter intimidade com a Palavra. No intuito de nos aproximarmos de Deus por meio de Seus ensinamentos, aprofundemos nosso conhecimento bíblico.

A Bíblia Sagrada é dividida em 73 livros. São 46 no Antigo Testamento, sendo todos os livros escritos a partir do séc. XV a.C. até o nascimento de Cristo. Contém a Lei de Deus dada a Moisés, a história do povo de Israel e suas reflexões, bem como a previsão da vinda do Messias, que se deu com a vinda de Jesus Cristo. E 27 livros no Novo Testamento, sendo todos os livros escritos após a vinda de Jesus até o final do séc. I d.C.. Traz a vida e as obras de Jesus, a criação e a expansão da Igreja, além de documentos de formação do povo cristão.

O Catecismo da Igreja Católica esclarece pontos importantes sobre a Sagrada Escritura:

Deus é o autor da Sagrada Escritura (CIC 105): Esta é uma questão de fé mais que fundamental. A importância da Bíblia está principalmente no fato de ser a Palavra de Deus revelada. Como católicos não podemos duvidar disso. Este é o fato que distingue a Bíblia de qualquer outro livro. A Constituição Dogmática ensina:

Com efeito, a santa Mãe Igreja, segundo a fé apostólica, considera como sagrados e canônicos os livros completos do Antigo e do Novo Testamento com todas as suas partes, porque, escritos por inspiração do Espírito Santo, têm Deus por autor, e como tais foram confiados à própria Igreja” – (CIC 105).

Deus inspirou os autores humanos dos livros sagrados (CIC 106): Os autores humanos dos livros sagrados são chamados de hagiógrafos. Diferentemente dos muçulmanos que pensam que o alcorão foi ditado pelo anjo Gabriel a Maomé, A Palavra de Deus que se encontra na Bíblia não foi ditada, pois existiram verdadeiros autores humanos. Deus usou das capacidades mentais destes autores, agindo neles. Deus inspirou o coração dos autores a fim de escreverem só o que Ele quis.

Para escrever os livros sagrados, Deus escolheu e serviu-se de homens, na posse das suas faculdades e capacidades, para que, agindo Ele neles e por eles, pusessem por escrito, como verdadeiros autores, tudo aquilo e só aquilo que Ele queria” – (CIC 106)

Os Livros Sagrados ensinam a Verdade (CIC 107): Não existem erros na Bíblia. Quando a Igreja nos ensina isto, está enfatizando que não há erros em matéria de fé, não há erro que comprometa a nossa salvação. Contudo, Deus ao utilizar de autores humanos utilizou de suas capacidades (vocabulário, gramática, conhecimento), e por isso existem erros de ordem científica, erros de botânica, de datação etc. Mas não existem erros no que se refere a nossa fé.

Os livros inspirados ensinam a verdade. «E assim como tudo o que os autores inspirados ou hagiógrafos afirmam, deve ser tido como afirmado pelo Espírito Santo, por isso mesmo se deve acreditar que os livros da Escritura ensinam com certeza, fielmente e sem erro, a verdade que Deus quis que fosse consignada nas sagradas Letras em ordem à nossa salvação»” – CIC 107

Munidos dessas informações, pedimos ao Espírito Santo, intérprete da Palavra, que ilumine o Grupo Jovem Anjos de Deus para que possamos crescer no conhecimento e intimidade com a Sagrada Escritura.

Esperamos todos vocês na próxima reunião, no dia 01/07 às 19:30 no Centro Pastoral da Paróquia de Santo Antônio!

Fontes:

http://caritasfidei.blogspot.com.br/2012/11/a-biblia-i-inspiracao-e-verdade-cic-101.html

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p1s1c2_50-141_po.html