Anteriormente em Anjos de Deus (parte 1)

Ficamos algum tempo sem publicar por aqui, mas voltamos!

Vamos falar sobre as nossas duas últimas reuniões, no estilo “anteriormente em Anjos de Deus…”, pra galera que esquece e não consegue acompanhar a história, e também pra galera que não pôde ir as últimas reuniões. Afinal, a vida está tão corrida que precisamos de um previously de vez em quando.

A primeira falou sobre a importância da amizade. Nos conhecemos há tanto tempo, e sabemos tão pouco sobre cada um de nós. Formamos duplas e escrevemos qualidades de cada um dos participantes da reunião. Foi muito interessante perceber que os nossos amigos veem qualidades em nós que nós mesmos achamos que não temos. Foi uma excelente avaliação, feita por terceiros, para que nós pudéssemos perceber o que precisa ser trabalhado e o que não precisa.

Buscamos melhorar e crescer a todo momento. Às vezes não conseguimos saber em que podemos melhorar ou em que já melhoramos. Os nossos amigos, que convivem conosco, podem nos ajudar nisso também. A amizade é um dos melhores e mais completos relacionamentos. A amizade trabalha o nosso crescimento pessoal, ao mesmo tempo que nos alegra, nos diverte e também nos ajuda em momentos de aflição.

O que seria da nossa vida sem as nossas amizades? Sem as pessoas de outras famílias, com outras formações e mentalidades, com pensamentos diversos, opiniões variadas, gostos estranhos? Seria uma vida chata e monótona. Precisamos da diversão, das novidades, das loucuras (sim!!), das risadas até doer a barriga que os verdadeiros amigos nos trazem.

Porque optamos por seguir a Jesus, devemos nos esforçar para imitá-lo em tudo. Ele é o humano perfeito, o cidadão ideal, modelo de vida. E Ele tinha amigos. Amigos que riam com Ele, que choravam com Ele. Que iam a festas de casamento com Ele. Certeza que em algum momento Jesus riu até a barriga doer. Ele viveu entre nós, sendo um de nós.

Jesus nos mostrou que os nossos amigos não precisam ter uma vida parecida, a amizade não exige isso. Basta que sejamos abertos às diferenças. Os amigos diferentões são os que nos levam as melhores loucuras, melhores aventuras. Os apóstolos toparam seguir a Jesus, em sua loucura contra o pecado e o mal, para salvar a humanidade. Foi louco? Foi. Foi intenso? Foi. Teve parte ruim? Teve. Eles voltariam atrás e diriam: não Jesus, vai lá sozinho viver essa loucura aí? De jeito nenhum. Valeu a pena cada segundo ao lado de Jesus.

Os amigos que te aproximam de Deus te chamam pra essas loucuras e aventuras, pra viver esse Amor absurdo e surreal. Amor indescritível, incomparável, imensurável. Vale a pena? Sem dúvida.

Então, vem? Vamos dar as mãos como amigos diferentões que somos e vamos um Evangelizar ao outro?

“Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro.Nada é comparável a um amigo fiel, o ouro e a prata não merecem ser postos em paralelo com a sinceridade de sua fé. Um amigo fiel é um remédio de vida e imortalidade; quem teme ao Senhor, achará esse amigo. Quem teme ao Senhor terá também uma excelente amizade, pois seu amigo lhe será semelhante.” Eclesiástico 6, 14-17.

Prometemos um previously completo, então leia a continuação desse post.